Execução de Obras de Contenção de Encostas

Conforme foi verificada a acentuação da urgência em ser amplificada a capacidade técnica dos principais procedimentos desempenhados pelos setores da construção civil, sucedeu-se a implantação tanto de recursos tecnológicos quanto de metodologias altamente eficazes.

Dentre os métodos concebidos, o solo grampeado corresponde ao mais empregado por conta de possibilitar a execução de obras de contenção de encostas de forma correta e que promova a segurança no local.

À vista disso, empresas especializadas foram estabelecidas, possuindo a finalidade de conceder a efetividade às operações de aperfeiçoamento de solos.

Por que solicitar a execução de obras de contenção de encostas?

A princípio, o solo grampeado corresponde à técnica empregada com o intuito de estabilizar tanto os taludes naturais (formados em resultado de ações geotécnicas e naturais) quanto os taludes artificiais (gerados conforme ocorre as atividades de corte e aterramento).

Em modo geral, o solo grampeado decorre com a introdução de chumbadores em áreas específicas de um maciço, onde são alicerçados com a injeção de calda de cimento. Após esse conjunto ser consolidado, é aplicado um revestimento de concreto projetado.

Além do mais, em meio das etapas descritas, é realizada não somente a drenagem de superfície com o emprego de caneletas e drenos de paramento, como também, a drenagem profunda por intermédio de um DHP (conhecido também como dreno Sub-Hozinzontal Profundo).

Com isso, a execução de obras de contenção de encostas pode ser considerado como um serviço destinado a promover a segurança pelo fato de erradicar a possibilidade de ocorrerem adversidades como o deslizamento de uma porção do maciço.

Em consequência desses fatores, a execução de obras de contenção de encostas se trata da resposta para elevar a eficácia de seu projeto.

O texto acima "Execução de Obras de Contenção de Encostas" é de direito reservado. Sua reprodução, parcial ou total, mesmo citando nossos links, é proibida sem a autorização do autor. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal. – Lei n° 9.610-98 sobre direitos autorais.