Execução de Obras de Tirantes Auto Injetáveis Perfurantes

À proporção que se sucedeu o desenvolvimento de recursos providos de alta tecnológica, surgiram as condições favoráveis para o impulsionamento da capacidade técnica e produtiva dos principais procedimentos desempenhados pelo setor da construção civil.

Em consequência desse processo evolutivo, práticas como a aplicação de tirantes autoinjetáveis foram aperfeiçoadas, se tornando de extrema importância para a efetividade das operações de contenção de solos íngremes.

A importância da execução de obras de tirantes auto injetáveis perfurantes

Um tirante, a princípio, trata-se de um elemento do qual pode ser elaborado por diferentes materiais – como a monobarra, cordoalhas, barras de aço, fios, entre outros – sendo que esses além de exibem um coeficiente satisfatório de resistência a tração, são selecionados e aplicados de acordo com as especificações do projeto.

Basicamente, uma vez que foi realizada a perfuração vertical ou sub-horizontal de um maciço, os tirantes são introduzidos nas cavidades formadas, onde o seu alicerçamento decorre com a injeção de calda de cimento, gerando o bulbo de ancoragem conectado a parede estrutural.

No caso da execução de obras de tirantes auto injetáveis perfurantes, os elementos utilizados são inseridos no solo com o auxílio de uma perfuratriz rotopercussiva ou rotativa, enquanto é efetuado a injeção de nata de cimento.

Com a realização dessas operações, é possível estabilizar um talude natural ou artificial, erradicando a possibilidade de ocorrerem adversidades como deslizamentos de terra e o consequente comprometimento da obra.

Sendo assim, com a assessoria ideal, a execução de obras de tirantes auto injetáveis perfurantes proporciona a segurança juntamente às propriedades ideais para a efetuação dos trabalhos aos arredores de um talude.

O texto acima "Execução de Obras de Tirantes Auto Injetáveis Perfurantes" é de direito reservado. Sua reprodução, parcial ou total, mesmo citando nossos links, é proibida sem a autorização do autor. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal. – Lei n° 9.610-98 sobre direitos autorais.