O desenvolvimento das obras de geotecnia foi motivado conforme se sucedeu a intensificação da urgência em serem elaboradas construções providas de sólida infraestrutura.

Nos dias atuais, o solo grampeado corresponde a uma das metodologias fundamentais para a realização de obras em regiões em aclives ou declives, pois garante a segurança e a solidificação do terreno.

Conheça a indispensabilidade da execução de projetos de solo grampeado

O solo grampeado, a princípio, trata-se da união de procedimentos executados com o propósito de conter um determinado talude, seja esse natural (formado a partir de ações geológicas ou da natureza) ou artificial de aterro (deposição de solo) ou corte (remoção de material).

Em outras palavras, o ato de solicitar a execução de projetos de solo grampeado consiste em um meio destinado a estabilizar um terreno íngreme, impedindo a possibilidade de ocorrer adversidades como deslizamentos de terra e o comprometimento das construções alicerçadas aos arredores.

Basicamente, a realização do solo grampeado se deve à fixação de estruturas metálicas – denominadas de chumbadores – no maciço, seguido da aplicação do concreto projetado sobre toda a extensão do talude.

Concomitantemente a essas etapas, é efetuada tanto a drenagem profunda por via do DHP (Dreno Sub-Horizontal) quanto a drenagem de superfície com o emprego de canaletas e drenos de paramento.

Ademais, além de conceder a solidez e estabilidade ao talude, essas práticas não geram impactos, preservando a integridade do meio ambiente.

É necessário ser realizada uma análise na região a ser trabalhada, visando a identificação dos meios ideais para que a execução de projetos de solo grampeado decorra de modo apropriado.

O texto acima "Execução de Projetos de Solo Grampeado" é de direito reservado. Sua reprodução, parcial ou total, mesmo citando nossos links, é proibida sem a autorização do autor. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal. – Lei n° 9.610-98 sobre direitos autorais.